A Gastronomia Italiana é a maior do Mundo - Mito ou Verdade?




A Biodiversidade Italiana é considerada a maior do mundo em números de tipos por espécie (Animal, Vegetal e Funghi). Inclusive maior que a do Brasil, USA, Rússia, Índia e China (individualmente). A Itália também produziu 70 % do Patrimônio Artístico do Mundo e hoje é o país europeu com o maior número de imigrantes e descendentes, em sua terceira geração fora da Itália, aproximadamente 700 milhões de pessoas.

Mesmo com 0,5% do total de terras secas do mundo e 0,83# da população mundial a comunidade científica especializada constatou algumas da seguintes particularidades:

a) O Reino Vegetal na Itália possui mais de 7000 espécies ( Brasil em segundo com 3000), entre eles 1800 tipos de uvas (seguido da França em 2° com 200 espécies) com mais de 500 regiões DOHC, DOG e IGT produtoras de vinhos, 997 tipos de maçãs (Das 1227 conhecidas pelo homem), 1400 tipos de grãos de trigo comestíveis ( existem só 6 espécies plantados, colhidos e processados no mundo!)

b) 58.000 espécies de Animais entre mar, rios, céus e terra ( A China em segundo com 20.000), sendo o campeão mundial em tipos de queijos e embutidos e produtos a base de proteína animal.

c) Aproximadamente 1500 espécies de Cogumelos e afins ( A Tundra Russa em segundo com perto de 700 espécies)



Por isso nossa Culinária têm mais de 50.000 receitas cadastradas e nossos pratos são um dos mais consumidos do mundo ( no TOP 10 mundial temos 3 colocações - Spaghetti al Sugo, Pizza e Lasagna). E com estes fatores nossa Culinária produziu mais de 50.000 receitas cadastradas seguido em segundo em lugar a França com aproximadamente 30.000 receitas cadastradas


E Porque isso ocorre?


São 3 os Fatores Principais:


O Tipo de Relevo

O Clima e alguns Fenômenos Climáticos particulares

A Salinidade do Mar Mediterrâneo






RELEVO - A Itália possui um relevo variado. Tem altas cordilheiras ao norte, com o ponto culminante, o monte Branco com 4810m. Possui montanhas altas ao longo da península, com os Apeninos que formam o esqueleto da Itália. Também possui planícies, como a do rio Pó. Dois vulcões ativos existem no país: Etna e Vesúvio. No degelo da Primavera os rios principais aumentam de volume alimentados pelo gelo derretido, essa água chega ás altitudes mais baixas carregando detritos como folhagens, sementes, metais e minérios isso, faz com que as planícies e vales em torno destes recebam mais água e nutrientes minerais fertilizando as zonas de plantio e a biodiversidade através da umidade produzida. Os Apeninos por estarem bem ao centro e os Alpes ao norte canalizam toda essa riqueza em direção ao mar umidificando e fertilizando todos os pontos de terrenos úteis e florestas, assim sendo produzindo os fatores necessários para essa Biodiversidade ímpar, um solo muito rico em sais minerais e terrenos extremamente férteis.


CLIMA - A Itália no verão recebe a Luz Solar das 6 da manhã ás 21 horas, isto significa que o tempo de fotossíntese entre os vegetais durante o dia é muito maior e entre os animais ocorre a produção de vitaminas através da incidência da luz solar na pele destes, aumentando a produção de enzimas ( Vitamina D, K, PP, P e E, necessárias para o desenvolvimento ósseo e muscular).

Os ventos contínuos provocados por diversas massas de ar com temperaturas equidistantes(frio e calor) e inversamente proporcionais e a incidência de um vento Transmontano que sopra desde do Saara na África (rico em Sílica, enxofre e sulfatos) em direção à calota Polar Ártica (vento este que de divide ao passar pela Siília e encontrar os Apeninos dividindo-se em duas massas de ar que abrangem os litorais do Mar Tirreno e do Adriático em direção aos Alpes) contribuem para formação de micro-climas propícios e únicos.

Existem também as chuvas de monções do final de verão e começo do outono que se formam ao encontrarem nessas encostas das montanhas seus "micro-climas" para se formarem, trazendo consigo os outros fatores que fazem dessa Biodiversidade um capítulo a parte.

Quando falamos em fenômenos climáticos devemos salientar que a Itália sofre inúmeras erupções vulcânicas, desde o Etna e até o Vesúvio, a última em 1948 que depositaram toneladas de cinzas na atmosfera que com o passar dos anos e com as reações químicas que ocorrem nas nuvens antes de uma tempestade ou chuva "regam" a Itália com Nitrogênio, Enxofre e Potássio (NPK) nutriente importantíssimo para a criação de caule, folhas, flores e frutos nos vegetais e pele, tecido e cartilagens nos animais. E não esquecendo o reino Funghi...que precisam desta umidade e as diferenças de temperatura para sua formação e que encontram nestes tais fenômenos condições extremamente favoráveis a seu desenvolvimento.

Influência de uma nuvem de cinzas após um erupção vulcânica







SALINIDADE DO MAR MEDITERRÂNEO - Pra finalizar nosso último tópico restante que explica tudo isso...A salinidade marinha pode ser definida como a quantidade total, em gramas, de sais inorgânicos contidos em um quilograma de água do mar. Existe uma escala científica padronizada mundialmente conhecida como PSS-78 e a salinidade passou a ser uma propriedade adimensional. Assim, a salinidade é expressa sem unidades. Para ambientes de oceano aberto, a salinidade média é 35 com variação entre 33 e 37, acontece que no Mar Mediterrâneo este índice chega a 39 e no Mar Tirreno que banha a costa ocidental da Itália foram encontrados índices de até 41 equivalentes a Mar Vermelho, como mostro em gráfico anexo.
Mas Paulinho, o que tudo isso têm a ver com a Rica Biodiversidade Italiana? Tudo a ver!!!

Primeiro que a salinidade aumenta o depósito de sedimentação no estuário marítimo (Um estuário é um ambiente aquático de transição entre um rio e o mar. Um estuário sofre a influência das marés e apresenta fortes gradientes ambientais, desde águas doces próximos da sua cabeceira, águas salobras, e águas marinhas próximo da sua desembocadura) transformando o ambiente propício ao desenvolvimento de espécies marítimas animais e vegetais tanto na água como em seu entorno e a alimentação humana e não humana deste nutrientes como Sulfetos, sulfitos, Cloretos, Cloritos de metais alcalinos (sais inorgânicos de Sódio, Magnésio e Potássio principalmente - sem presença de O) importantíssimos para seu desenvolvimento e desta forma com uma salinidade maior traz mais sais !








Gostaria de salientar (sem trocadilhos! rsrs) que a Dieta Mediterrânea encontrou um capítulo à parte na Península Itálica e por isso a maioria de suas pesquisas e estudos começaram pelo Sul da Itália aonde estes "acontecimentos e "fatores" são mais bem detectáveis e os resultados práticos
comprovados !

Se quiser saber mais detalhes sobre isso , acesse o link abaixo:




Como já disse aqui o Italiano cozinha qualquer coisa que está na Terra, abaixo e acima dela, no mar e 
nos rios seja no fundo, acima, parado ou nadando, qualquer "bicho" que anda, arrasta, voa, corre, pula ou fica parado, com qualquer número de par de patas ou sem elas e qualquer vegetal ou cogumelo que não seja venenoso por isso com esta Biodiversidade tão rica não é a toa que é
A maior detentora de receitas do mundo!

Sem falar que além da influência cultural, fomos o povo que mais imigrou no mundo e influenciamos gastronomias em todo o mundo, imagina se considerarmos as receitas que foram influenciadas ou feitas com as técnicas da cozinha italiana o número de receitas chegaria a 10 x o valor que mencionei!

É isso pessoal! Se é mito ou verdade deixo pra você fazer sua própria análise e em breve publicarei um livro com tudo isto mais detalhado e com receitas!


Uma boa semana a todos !

Ósculos e Amplexos condimentados do Paulinho!




Postagens mais visitadas deste blog

Tabela de Conversão de peso para colheres e xícaras

Feijoada Completa do Chef Paulinho Pecora

Pão Ciabatta - Receita, Origem e História